Polo Turístico Cabo Branco



Arquivos para Download

Inscrições Online

Vídeos

Fotos

Contato
  • Envie email para contactar a equipe responsável pelo Polo Turístico Cabo Branco (ditur@cinep.pb.gov.br)
                    

Polo Cabo Branco


O município de João Pessoa, situado no ponto mais oriental das Américas e onde o sol nasce primeiro, em breve abrigará o maior Complexo Turístico planejado do Nordeste.

O Polo Cabo Branco, constituído por uma área privilegiada da orla marítima, possui uma área de 654 hectares e está cercado pelo Parque das Trilhas, a maior reserva ambiental da Paraíba. Entre o mar do litoral sul paraibano e o verde da Mata Atlântica, o complexo contará com hotéis, setores de eventos, animação turística, comércio e serviços.

Nesta primeira etapa, estão sendo disponibilizados 5 lotes hoteleiros, entre 3,2 e 7 hectares, sendo três deles voltados à beira-mar, um para a área do rio e um em frente ao Centro de Convenções. O projeto total possui 19 lotes, com toda infraestrutura.

Localização


O Complexo Turístico Polo Cabo Branco está localizado no Litoral Sul de João Pessoa, no bairro Portal do Sol.

Está a 350 metros do Centro de Convenções, a 16 km do Centro Histórico de João Pessoa, 36 km do Porto de Cabedelo, 24 km do aeroporto de João Pessoa, 125 km de Recife e 194 km de Natal.

Turismo na Paraíba


Além de apreciar o belo cenário e estrutura que o Polo Turístico Cabo Branco terá, os turistas poderão conhecer mais de 130 km de praias paradisíacas do nosso litoral, como também equipamentos culturais, a exemplo do Centro de Convenções, a Estação Cabo Branco e o centro histórico da Capital, que abriga igrejas seculares.

E nossas belezas e encantos não se resumem somente à capital. Do litoral ao sertão, a Paraíba tem diversos atrativos, como o Maior São João do Mundo, em Campina Grande; casarios coloniais, cachoeiras e engenhos do município de Areia; trilhas ecológicas, como a Pedra da Boca, em Araruna; a ‘Roliúde Nordestina’ e o Lajedo do Pai Mateus, em Cabaceiras; além do Vale dos Dinossauros, em Sousa.

Polo Cabo Branco – Impactos


De acordo com a PBTur, em 2018, João Pessoa teve um fluxo turístico de 1.259.310 hóspedes. Com a chegada do Polo Cabo Branco, o fluxo anual esperado é de mais 486 mil hóspedes ao final do projeto.

E segundo a Pesquisa de Serviços de Hospedagem realizada pelo IBGE (2017), a Paraíba possui 27.856 leitos, ocupando a 7ª posição a nível Nordeste e a 20ª posição a nível nacional.

Com o impacto do Projeto, João Pessoa sai da 7ª colocação para a 4ª, com 23.026 leitos em número absoluto; e da 4ª para a 2ª posição, com 2.877 leitos per capta (100.000 hab).

Outro destaque do Polo Turístico Cabo Branco é que ele está cercado pela maior reserva ambiental da Paraíba. Através do Decreto nº 37.653/2017, o Parque das Trilhas passa a ser a maior área de conservação de Proteção Integral na Paraíba em área urbana, com 578,548 hectares, ficando à frente da Reserva de Vida Silvestre da Mata do Buraquinho, que tem 517,80 hectares e Parque Estadual da Mata do Xém-Xém, com 182 hectares.

Batalhão


No Polo Turístico Cabo Branco será instalada uma sede do Batalhão da Polícia Militar Ambiental, onde também será a sede administrativa da Unidade de Conservação do Parque Estadual das Trilhas.

O Edital


Podem participar da primeira etapa do Programa de Incentivo Locacional promovido pela CINEP, empreendimentos voltados para hospedagem, conforme o Decreto Estadual n°. 37.192/2016.

As inscrições deverão ser feitas unicamente através do site: www.cinep.pb.gov.br e seguir as instruções especificadas na Resolução Normativa e no edital. Os interessados terão um prazo de 45 dias corridos para apresentarem toda a documentação necessária.

Podem concorrer aos lotes 1, 2, 3 e 4, projetos de hotel de lazer, resort e hotel fazenda.

Já o lote 5 será destinado a projetos de hotel residencial e flat.

Todo o processo deverá ser feito de forma online. Ao acessar o link de inscrição, o empresário receberá as instruções básicas para o preenchimento do formulário e os documentos que deverão ser anexados junto ao processo. Uma empresa poderá concorrer a todos os lotes que tiver interesse, mas as análises serão feitas de forma individual.

Quanto ao processo de avaliação, foi criada uma matriz de pontuação técnica, na qual serão analisados diversos indicadores, como apresentação do projeto, investimento e percentual de substituição de energia convencional para energias renováveis. A comissão que analisará os processos será formada por representantes da CINEP, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Procuradoria Geral do Estado, Controladoria Geral do Estado e Centro de Energias Renováveis da Universidade Federal da Paraíba.